segunda-feira, 23 de abril de 2018

Sesap otimiza realização de partos na região do Mato Grande

Buscando melhorar a realização dos partos habituais e cesáreas na 3ª Região de Saúde (Mato Grande), a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) está discutindo apoios e parcerias em Guamaré e Macau para o fortalecimento dos serviços.

Com o secretário de saúde do município de Guamaré, Francisco Diógenes, foi discutida a possibilidade de aumento dos leitos da Obstetrícia Clínica e Cirúrgica do Hospital Municipal Manoel Lucas de Miranda, para ampliação dos  partos habituais/cesarianas realizados na unidade hospitalar. O Governo do RN, através da Sesap, dará também o apoio técnico/financeiro para que a unidade hospitalar atinja o quantitativo de 1.440 partos/ano.

Em Macau, foi discutido com o prefeito Túlio Lemos e o secretário interino de saúde, Kleber Barreto, que o Hospital Municipal Antonio Ferraz necessitará aumentar o quantitativo de leitos para também atingir a condição de realização de 1.440 partos/ano. Já está em tramitação o processo de convênio que agilizará e efetivará a realização dos procedimentos dos partos habituais/cesarianas.


A região do Mato Grande tem uma previsão de realização de 5 mil partos este ano. A Sesap organiza a divisão por municípios: Ceará Mirim, Guamaré, Macau, Lajes, entre outros, de maneira que o parto habitual dessa região não pressione os serviços da 1ª Região de Saúde (Agreste) e da 7ª Região de Saúde (Metropolitana), fortalecendo a regionalização dos serviços de saúde.

sexta-feira, 20 de abril de 2018

Sesap/RN: Campanha de vacinação contra gripe inicia segunda-feira (23).

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza 2018 tem início nesta segunda-feira (23) e prossegue até 1° de junho, sendo 12 de maio o “Dia D” de mobilização nacional. De acordo com a Coordenação Estadual de Imunizações (CEI) da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), a estimativa é vacinar mais de 54,4 milhões de pessoas em todo o país e 879.430 no Rio Grande do Norte, tendo como meta vacinar, pelo menos, 90% dos grupos prioritários.

Fazem parte dos grupos elegíveis para a vacinação as crianças na faixa etária de seis meses a menos cinco anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias), gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), indivíduos a partir dos 60 anos, trabalhadores da saúde, professores de escolas públicas e privadas, povos indígenas, grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, a população privada de liberdade e os funcionários do sistema prisional.


Segundo Katiucia Roseli, coordenadora estadual de Imunizações, “a Sesap está concentrando esforços, por meio da CEI e das Unidades Regionais de Saúde, para que os municípios vacinem o máximo possível de pessoas pertencentes aos grupos prioritários. A ideia é que assim se possa reduzir as internações, complicações e óbitos causados por influenza”.

quinta-feira, 12 de abril de 2018

reafirma apoio ao AcolheSUS


A Secretaria de Estado da Saúde Pública do RN (Sesap) em parceria com o Ministério da Saúde (MS) promoveu nesta quarta e quinta-feira (11 e 12/4) a segunda oficina do projeto AcolheSUS no RN. O AcolheSUS objetiva a qualificação das práticas de cuidado a partir das portas de entrada do Sistema Único de Saúde (SUS) e tem por base a Política Nacional de Humanização (PNH).

A oficina foi conduzida localmente pela coordenação geral do PNH da Sesap. A porta da obstetrícia do Hospital Dr. José Pedro Bezerra, mais conhecido como Hospital Santa Catarina, foi escolhido para ser o ponto focal dessa primeira etapa do AcolheSUS na rede de serviços do SUS RN.

A secretária adjunta da Sesap, Hélida Bezerra, avaliou como bastante positivo o evento e reafirmou o apoio e a parceria da Sesap ao projeto. “As ações de humanização são muito importantes para melhoria da qualidade dos serviços“, afirmou.

O projeto foi criado para melhoria do acesso aos serviços, por parte da população, imprimindo mais qualidade e resolutividade. As diretrizes do AcolheSUS são Acolhimento, Ambiência, Gestão e Organização do Cuidado e Qualificação profissional.

O evento no Rio Grande do Norte foi direcionado para profissionais do grupo executivo estadual e grupo executivo local do AcolheSUS no RN. Na programação da oficina foi abordada a delimitação e elaborado o plano de trabalho com proposição de atividades e ações de melhorias para cada problema priorizado.

Desafios


Um dos desafios para os gestores é tornar mais humanizado o padrão de acolhimento aos usuários nos serviços de saúde, aprimorando o SUS. A política Nacional de Humanização da Atenção e da Gestão do SUS (PNH) desde sua criação, em 2003, tem contribuído para efetivar os princípios do SUS e se apresenta como política transversal, capaz de interferir na qualificação dos modelos de atenção e de gestão, melhoria do acesso, acolhimento do usuário e trabalhadores e na qualidade dos serviços.

Água Nova-RN: Numa ação conjunta, vários profissionais fazem mutirão de limpeza no município para evitar focos do mosquito Aedes aegypti

Nos últimos dias, as equipes Estratégia de Saúde da Família 1 e 2, Agentes Comunitários de Saúde, Agentes de Endemias e equipe da limpeza urbana, iniciaram um grande mutirão de limpeza nas ruas e domicílios do município de Água Nova, na região do Alto Oeste do Rio Grande do Norte. 

A ação visa conscientizar a população sobre os cuidados para não acumular água parada em suas residências, observando a presença ou não de focos do Aedes aegypti, além de informar sobre a forma correta de desfazer o seu lixo domiciliar.


O mutirão foi iniciado no Sítio Areias e as atividades devem continuar, nos próximos dias, em localidades da zona rural e urbana, para que se previna o aparecimento de focos do mosquito Aedes aegypti e de doenças transmitidas por ele, como a dengue.




quarta-feira, 11 de abril de 2018

Campanha de vacinação contra a gripe terá início dia 23 de abril; ‘Dia D’ será em 12 de maio

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza 2018 será realizada no período de 23 de abril a 1° de junho, sendo 12 de maio o “Dia D” de mobilização nacional. De acordo com a Coordenação Estadual de Imunizações (CEI), a estimativa para esta edição é vacinar mais de 54,4 milhões de pessoas em todo país e 879.430 no Rio Grande do Norte. Tendo como meta vacinar, pelo menos, 90% dos grupos prioritários.

Fazem parte dos grupos elegíveis para a vacinação as crianças na faixa etária de seis meses a menos cinco anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias), gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), indivíduos a partir dos 60 anos, trabalhadores da saúde, professores de escolas públicas e privadas, povos indígenas, grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, a população privada de liberdade e os funcionários do sistema prisional.

Segundo Katiucia Roseli, coordenadora de Imunizações, “em 2017, o RN vacinou 85,7% desta população, e para este ano a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) está concentrando esforços, por meio da CEI e das Unidades Regionais de Saúde, para que os municípios vacinem o máximo possível de pessoas pertencentes aos grupos prioritários. A ideia é que assim se possa reduzir as internações, complicações e óbitos causados por influenza”.

A influenza, mais conhecida como gripe, é uma doença respiratória infecciosa de origem viral, que pode levar ao agravamento e ao óbito, especialmente nos indivíduos que apresentam fatores ou condições de risco para as complicações da infecção (crianças menores de 5 anos de idade, gestantes, adultos com 60 anos ou mais, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais). De acordo com a Subcoordenadoria de Vigilância Epidemiológica da Sesap, este ano, nos meses de janeiro e fevereiro foram notificados 18 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave, com dois óbitos.


A gripe é uma doença altamente contagiosa e pode se espalhar de forma rápida em locais fechados. No Brasil tem sua sazonalidade nos meses de maio até o final do inverno. O tempo de incubação do vírus pode variar de um a três dias. Os sintomas da doença podem prevalecer de três a sete dias e a recuperação do paciente pode levar até duas semanas. Os sintomas são geralmente: febre alta, dor no corpo, de garganta e de cabeça, corrimento do nariz, excesso de catarro, tosse e fraqueza muito grande. Quando não tratada corretamente pode evoluir para outras doenças como a bronquite e a pneumonia bacteriana.

terça-feira, 10 de abril de 2018

Sesap: Comitê de promoção da equidade em saúde passa por reformulação

Na manhã desta terça-feira (10), a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), através da Subcoordenadoria de Informação, Educação e Comunicação (Siec), reuniu diversos representantes de movimentos sociais e organizações não governamentais para discutir a reformulação do Comitê Estadual de Promoção da Equidade – que visa a minimizar ao máximo as desigualdades e ampliar o acesso à saúde a toda população, um dos princípios do Sistema Único de Saúde (SUS).

A equidade no atendimento público de saúde garante que populações de rua, indígenas, quilombolas, população LGBT e outros recebam cuidados diferenciados, para que dessa forma, tenham o mesmo atendimento. De acordo com a Siec, entre as principais solicitações das populações mais vulneráveis estão o acesso às vacinas, exames e atendimentos na atenção básica, evitando constrangimentos e preconceito.

Marylia Câmara, subcoordenadora de informação, educação e comunicação da Sesap, explicou que os membros para o biênio 2017-2019 estão sendo indicados pelos participantes do Comitê e, com a reestruturação, a Siec continuará atuando nas demandas, trabalhando a aceitação das diferenças e diversidade.

Entre as atividades para 2018, a Siec organiza em maio uma nova edição do projeto Diálogos Interativos, com palestras que abordam temas de relevância para a saúde pública.


O Comitê estadual foi criado por meio da Portaria nº 324/2013, publicada no Diário Oficial do Estado do Rio Grande do Norte em 26 de março de 2014. Possui vigência de dois anos para mudança de composição e se constitui como um espaço que vem subsidiar a gestão na construção de ações que reduzam as vulnerabilidades e fortaleçam laços de solidariedade e respeito mútuo entre os diversos segmentos da população norte-rio-grandense.

segunda-feira, 9 de abril de 2018

Hospital ‘Maria Alice’ realiza evento sobre Segurança do Paciente e Saúde do Trabalhador

O Hospital Pediátrico Maria Alice Fernandes, em comemoração ao Abril Verde, mês dedicado à prevenção de acidentes e doenças relacionadas ao trabalho, realiza no período de 10 a 12 deste mês, a Segunda Semana de Segurança do Paciente e Saúde do Trabalhador. O evento é aberto a todos os profissionais do hospital. São três manhãs de curso com direito a certificado emitido pelo Núcleo de Educação Permanente (NEP) do hospital. Dentre as palestras do evento estão “Prevenção e combate a incêndio”, “Estresse e Trabalho”, além de “Protocolo de Segurança na Prescrição: uso e administração de medicamentos”.

O evento é também uma referência às comemorações do Dia Nacional da Segurança do Paciente, dia 01 de Abril e ao Dia Mundial em memória das vítimas de acidentes de trabalho, que será dia 28 de Abril. Os Núcleos de Saúde do Paciente (NSP) e os Núcleos de Saúde do Trabalhador (NAST), que funcionam nas unidades de saúde trabalham conjuntamente para realização do evento.

De acordo com a enfermeira do Núcleo de Assistência à Saúde do Trabalhador do hospital, Marília Eufrásio da Silva, o evento chama atenção para criação de uma cultura permanente de prevenção de acidentes de trabalho e doenças ocupacionais.


Para a enfermeira e coordenadora do NUVISA (Núcleo de Vigilância Sanitária) e NSP (Núcleo de Saúde do Paciente), Francisca Raquel Monteiro de Melo, o evento pretende sensibilizar os participantes sobre a segurança do paciente, que ainda é muito nova para a maioria dos profissionais. “O principal foco será nos protocolos que estamos trabalhando na assertiva de melhorar os processos de trabalho relacionados a eles, que serão nossas metas em 2018.  É o caso, por exemplo, das notificações de eventos adversos, que faz parte da rotina dos hospitais, mas têm apresentado baixos registros. Outro tema que será trabalhado é o protocolo de medicação segura”.