segunda-feira, 7 de maio de 2018

CER é referência em laboratório público de genética do RN

O Centro Especializado em Reabilitação (CER), antigo CRI, existe no Rio Grande do Norte desde a década de 90. Em meio às suas diversas atividades dentro da Rede de Cuidados à Pessoa com Deficiência, o CER avança cada vez mais no atendimento completo à população, passando desde o diagnóstico até o tratamento final. Neste sentido, o Centro se destaca por disponibilizar o único Laboratório de Genética Humana da rede pública.

Com capacidade para realizar mensalmente 100 exames, o laboratório faz uma média de 86 exames por mês na área de citogenética e genética e bioquímica, após a avaliação da necessidade de cada caso por parte do médico geneticista do CER.

Uma equipe de nove profissionais especializados, entre técnicos em biodiagnóstico, bioquímicos, biólogos e farmacêuticos, atua na realização de exames para o diagnóstico de doenças de origem genética, tais como síndromes de Turner, Patau, Klinefelter, anomalias cromossômicas estruturais, doenças metabólicas (através de scrining test) e Down, essa última a mais frequente. Em busca de atualização permanente, os profissionais participam de capacitações e treinamentos de forma contínua.

Para um diagnóstico de qualidade, o laboratório dispõe de um microscópio de fluorescência acoplado ao sistema automático de cariotipagem (análise numérica e estrutural dos cromossomos humanos), compondo assim uma análise mais detalhada das alterações cromossômicas associadas às mais diversas doenças genéticas.

O diretor técnico do CER, Ítalo Targino, ressalta as facilidades que a existência do laboratório traz para o avanço no caso de diagnósticos precoces, já que as análises podem ser feitas aqui no RN, sem ter que solicitar auxílio de estados vizinhos. “O serviço do laboratório é de uma importância ímpar para toda a população norte-rio-grandense, uma vez que atende aos 167 municípios do estado, proporcionando o diagnóstico precoce de doenças genéticas, o que permite esclarecer ao paciente a real patologia, de modo a possibilitar um tratamento satisfatório e adequado, com acompanhamento do médico geneticista, evitando assim futuras complicações”.


O CER, integrante da Rede de Cuidados a Pessoa com Deficiência do RN, tem competência para prestar assistência às pessoas com deficiência auditiva, física, intelectual, além dos estomizados, amputados e múltiplas deficiências.

0 comentários:

Postar um comentário