terça-feira, 19 de junho de 2018

Sesap/RN: Dia Mundial de conscientização sobre a doença falciforme é lembrado com palestra



Nesta terça-feira, 19, Dia Mundial de conscientização sobre a doença falciforme, a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) reuniu membros da Associação de Pessoas Portadoras de Anemia Falciforme do RN (APPAF-RN) para um momento de discussão e troca de experiências em torno do tema.

A ação faz parte do projeto Diálogos Interativos da Subcoordenadoria de Informação, Educação e Comunicação (SIEC) que nesta edição trouxe o tema “Doença falciforme – construindo a linha de cuidados”.

O médico Gustavo Oliveira, da Divisão de Hematologia do Hemonorte, explicou os aspectos clínicos da doença e tirou algumas dúvidas dos pacientes presentes. “A doença falciforme é a doença genética mais comum no Brasil, pela sua frequência e morbidade. O teste do pezinho é fundamental no diagnóstico precoce”, disse.

A anemia falciforme é uma doença hereditária, sua principal característica é a alteração do glóbulo vermelho do sangue (hemácias). Essas células alteradas tomam a forma de foice e não circulam facilmente pelos vasos sanguíneos, esse bloqueio na circulação impede a chegada do oxigênio aos tecidos, o que desencadeia uma série de sintomas: anemia crônica (causada pela rápida destruição dos glóbulos vermelhos), icterícia (cor amarelada na pele e mais visivelmente no “branco dos olhos”), inchaço muito doloroso na região dos punhos e tornozelos e crises dolorosas, principalmente em ossos, músculos e articulações.

O Hemonorte, centro de referência em hematologia e hemoterapia no Estado do RN, disponibiliza atendimento aos portadores da doença. Atualmente cerca de 350 pacientes são atendidos na unidade. Dados do Ministério da Saúde mostram que no Brasil nascem por ano em torno de 3.500 crianças com anemia falciforme.

Como encaminhamento do encontro, a equipe da Siec irá viabilizar uma reunião com diversos órgãos a fim de apresentar algumas reivindicações dos pacientes como qualificação de profissionais, abastecimento de medicamentos e acesso a exames.


0 comentários:

Postar um comentário