sexta-feira, 6 de abril de 2018

Cobertura de Atenção Básica no RN é uma das 10 melhores do Brasil

Os indicadores sobre o resultado positivo de cobertura da Atenção Básica no Rio Grande do Norte foram apresentados pelos técnicos da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) no Encontro Estadual para fortalecimento da Atenção Básica do RN, que aconteceu nos dias 4 e 5 em Natal. Os números colocam o RN entre os dez estados com maior cobertura neste segmento em todo Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde.

Segundo a subcoordenadora de Ações de Saúde (SUAS), Ivana Fernandes, técnica responsável por esse monitoramento, atualmente, no Rio Grande do Norte, 87.5% da população conta com a cobertura da Estratégia Saúde da Família (ESF). Um universo que movimenta 5.532 agentes comunitários, 1.114 equipes da ESF, 286 equipes do Mais Médicos, 4 equipes de Consultórios na Rua (3 Natal, 1 Mossoró), 5 equipes de Saúde Prisional e 1 equipe de Saúde Indígena, distribuídos em todos os 167 municípios.

“O fato significa um avanço para a saúde pública no SUS do RN, porque a atenção básica ou atenção primária em saúde é o segmento mais importante do Sistema Único de Saúde, do ponto de vista do reconhecimento dos principais problemas e necessidade de saúde do território. Conhecida como a ‘porta de entrada preferencial’ do SUS, aberta e acessível aos usuários. É o atendimento inicial que se dá sob a gestão do município”, explica Ivana Fernandes.

O objetivo da Atenção Básica é orientar sobre a prevenção de doenças, solucionar os possíveis casos de agravos e referenciar os mais graves para níveis de atendimento de maior complexidade tecnológica, o que compete aos três entes federados.

Nesse território são realizadas consultas individuais/ações coletivas, exames, vacinas e outros procedimentos. Também há os serviços para segmentos específicos como as Equipes de Consultórios de Rua, que atendem pessoas em situação de rua, o Programa Melhor em Casa, de atendimento domiciliar, o Programa Brasil Sorridente, de saúde bucal, o Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS) e as Equipes de Saúde Prisional – ESP, que atuam dentro das unidades prisionais. Todas essas estratégias buscam alternativas para melhorar as condições de vida e saúde da população usuária do SUS.

Segundo Ivana Fernandes, “esse fortalecimento da atenção básica no SUS do RN é resultado de um trabalho articulado, de apoio institucional integrado, que envolve ações de educação permanente, apoio aos gestores municipais, e apoio do MS com programas de provisão, a exemplo do Mais Médicos para o Brasil. Além das parcerias entre o Estado, por meio da Sesap, com COSEMS, controle social e instituições de ensino como a Universidade Federal do Rio Grande do Norte, através do Departamento de saúde coletiva”, destaca.


0 comentários:

Postar um comentário